Posts

Os melhores não praticam! Aprendem!

Quem aqui já leu este livro, da famosa teoria das 10.000 horas?

Em 1993, Anders Ericsson, um professor da Universidade de Colorado, acompanhou vários estudantes de violino desde a infância até o final da adolescência. Ele constatou que os violinistas mais talentosos eram aqueles que haviam praticado uma média de 10.000 horas, enquanto os que exibiam a menor dose de talento eram os que praticaram somente 4.000 horas ao todo. Ou seja, constatou que o talento é na realidade resultado de muita prática diária.

Essa pesquisa abriu, para que anos mais tarde, Malcolm Gladwell desse sequência à mesma linha de pesquisa, e como consequência disso escrevesse o livro Outliers – Fora de Série, um best-seller internacional.

Baseado nisso, podemos afirmar que com muitas horas de prática podemos nos tornar experts em um determinado assunto ou ofício?

Um ponto-chave que gostaria de questionar aqui é que esses estudos, que causaram muito barulho no mundo acadêmico na década de 90 e se fortaleceram ainda mais nas últimas duas décadas – no que tange performance humana, talvez não façam nenhum sentido quando o assunto são os negócios.

A maioria dos estudos e exemplos relatados na obra envolvem jogos com regras estritas e imutáveis, como música e xadrez. Porém, em áreas onde as regras do jogo mudam constantemente e as condições se alteram o tempo todo, milhares de horas de prática acabam se tornando bem menos relevantes. Afinal, é muito difícil se tornar um expert em algo que muda todos os dias.

Com intuito de estudar a relação da prática com desempenho humano, as universidades de Princeton, Michigan e Rice geraram nos últimos 10 anos cerca de 88 estudos que envolveram mais de 11.000 pessoas, e constataram que para jogos com pouca ou nenhuma mudança de regras, por exemplo xadrez, jogos de tabuleiro, palavras cruzadas, realmente a prática prediz a performance, mas bem menos do que nos estudos de Ericsson e Gladwell, representando 26% do desempenho, e para música e esportes ainda menos, cerca de 21 e 18%.

Na educação foi mais surpreendente, sendo apenas 4%. Para áreas de vendas, gestão ou pilotagem de aeronaves foi inferior a 1%.

Como assim????

A explicação é simples! Áreas com mais previsibilidade, onde os eventos se repetem de forma igual seguindo um padrão, onde o caminho já está definido e não há eventuais mudanças no meio do caminho, sim (!) a prática contribui muito para o bom desempenho. Como seguir uma partitura de uma música ou sair para correr.

Quando a previsibilidade é menor, por exemplo, quando temos adversidades ou opositores jogando contra, como esgrima, boxe ou esportes coletivos, a prática contribui, mas prever todos os movimentos “contrários” de seu adversário se torna muito mais difícil, mesmo que você pratique inúmeros movimentos de defesa e de ataque.

Agora, quando falamos de uma pane em uma aeronave, ou quando um navio é tomado por uma forte tempestade, ou melhor, quando se trata de conduzir um NEGÓCIO em meio a momentos de CRISES e MUDANÇAS, tendo que liderar pessoas em meio a turbulências, por mais experiencia e pratica que você já tenha tido, uma tempestade nunca é igual a outra , uma pane em pleno voo nunca é igual a outra, e uma pessoa jamais será igual a outra. Ou seja, não existe manual de instrução, existe apenas você e o adversário.

Daqui para frente, quando a previsibilidade será cada vez menor, terá vantagem aqueles que se tornaram generalistas, que aprenderam ao longo da sua vida um pouco de muitas coisas, que já jogaram em varias posições da empresa e com isso desenvolveram o que chamamos popularmente de “jogo de cintura”, adaptabilidade e uma visão mais ampla das coisas, se comparados a especialistas que se desenvolveram em uma única direção.09

Mas nunca é tarde para começar, teremos apenas que acelerar e aprender a sair da profundidade de um tema para uma posição de “Outsiders”, isso mesmo, virar um “forasteiro”, e começar a visitar outras áreas, falar com outras pessoas, sobre outros assuntos, mesmo ou principalmente sobre os quais você não domina ou conhece.

Acredite, a partir de agora saber POUCO DE MUITA COISA SERÁ MELHOR DO QUE SABER MUITO DE POUCA COISA.

Boa sorte!!!

No Comments :